Primeiro CD Camerata

Participaram desta gravação os músicos:

Paulo Pedrassoli (direção musical), Gaetano Galifi, Fábio Adour, Célio Delduque, Valmyr de Oliveira, Rogério Borda, Ricardo Filipo e Artur Gouvêa.

 

Ficha Técnica

Engenheiro de som: Fernando Guilhon

Técnicos: Ricardo Cutz e Paulo Pedrassoli

Textos: Camerata de Violões

Tradução: Suzana Fuentes

Fotos: Daniela Fuentes

Coordenação de produção: Eliana Fonseca

Direção de arte: Flávia Portela; Assistente: Cris Lopes

 

Gravação realizada entre 14 e 17 de dezembro de 1998 na Sala Cecília Meireles, Rio de Janeiro

Editado no estúdio do Conservatório Brasileiro de Música e no homestudio de Paulo Pedrassoli

 

Batuque

"Batuque" da ópera "Malazarte" (Oscar Lorenzo Fernandez)

Apesar de os portugueses darem o nome genérico de batuque a toda dança de negros da África, esse nome ficou ligado a uma dança com sapateado e palmas ao som de cantigas acompanhadas somente de tambores.

Estudo nº 1

"Três Estudos em Forma de Sonatina Op. 62" (Oscar Lorenzo Fernandez), composta em 1938 essa peça é uma das obras mestras do repertório brasileiro para piano.

Estudo nº 2

"Três Estudos em Forma de Sonatina Op. 62" (Oscar Lorenzo Fernandez), composta em 1938 essa peça é uma das obras mestras do repertório brasileiro para piano.

Estudo nº 3

"Três Estudos em Forma de Sonatina Op. 62" (Oscar Lorenzo Fernandez), composta em 1938 essa peça é uma das obras mestras do repertório brasileiro para piano.

Introdução - Embolada

"Para Villa-Lobos, a música de Bach é um fenômeno cósmico, do infinito astral, que se reproduz nas várias partes do globo terrestre com tendência a universalizar-se". A primeira das nove Bachianas, composta em 1930, para orquestras de violoncelos, é aqui apresentada numa belíssima transcrição para conjunto de violões, feita por Sérgio Abreu, um dos maiores mestres deste instrumento.

Modinha

"Para Villa-Lobos, a música de Bach é um fenômeno cósmico, do infinito astral, que se reproduz nas várias partes do globo terrestre com tendência a universalizar-se". A primeira das nove Bachianas, composta em 1930, para orquestras de violoncelos, é aqui apresentada numa belíssima transcrição para conjunto de violões, feita por Sérgio Abreu, um dos maiores mestres deste instrumento.

Fuga - Conversa

"Para Villa-Lobos, a música de Bach é um fenômeno cósmico, do infinito astral, que se reproduz nas várias partes do globo terrestre com tendência a universalizar-se". A primeira das nove Bachianas, composta em 1930, para orquestras de violoncelos, é aqui apresentada numa belíssima transcrição para conjunto de violões, feita por Sérgio Abreu, um dos maiores mestres deste instrumento.

Imagem Carioca

Foi escrita para orquestra sinfônica em 1967 e imediatamente transcrita, pelo compositor para banda sinfônica. Embora obra da juventude, ambas as versões tornaram-se peças das mais das mais populares de seu repertório. Em 1987, num concerto comemorativo dos 25 anos de sua carreira de compositor, no Museu Villa-Lobos, Tacuchian apresentou outra versão da obra, agora para quarteto de violões.

Música Mundana

Esta música é composta em forma de fuga. A fuga é uma forma de composição típica do período Barroco cujo maior expoente é Johann Sebastian Bach. A fuga se caracteriza por ser composta por várias vozes que sucedem dando a impressão de estarem fugindo umas das outras.

Cor Esperança

Composição de 1996, foi concebida em três partes (abertura 9/8, canto e tema) e dedicada a Camerata de Violões. Teve seu primeiro esboço realizado no ano de 1991. A imagem motivadora da composição é de uma mistura de cores preferencialmente verde, amarelo, azul e branco em movimento numa aquarela. A inspiração dessa música é a da persistência em um caminho de sabedoria e paz. 

Páginas